20080325

Wiriamu e as desculpas aos africanos

A propósito desta notícia, não consta que o ex-alferes miliciano Cavaco Silva tenha participado no massacre de Wiriamu.
O actual Presidente Cavaco Silva deve ter decidido ter outras prioridades retóricas nas suas intervenções públicas em Moçambique. E fez bem.
As relações entre os povos são moldadas com o que de bem e de mal se fez antes. Mas, sobretudo, devem perspectivar o futuro.

noutro sítio aflorámos o tema das "desculpas aos africanos", sobre o que, muito haveria a dizer...
Wiriamu envergonha o grupo de militares que tenha praticado esses factos, e os seus superiores que os não sancionaram. Sem dúvida.
Mas, se alguém deve pedir desculpas, não deve ser o povo português, na pessoa do seu (mais alto) representante.

3 comentários:

Anónimo disse...

Concordo em absoluto

JPT disse...

deixei prenda para a jornalista no meu blog. não há paciência para este desculpismo militante

Dhada disse...

Having conducted an extensive study of the massacre, in which the Portuguese military culpability is clear and evident, I am surprised by this lack of admission of guilt, and white wash. No nation, let alone a democratic one, can afford to forget its tarnished colonial past in this regard, if only to ensure nothing similar is repeated in the future. Dr. M. Dhada, Professor of History, CSUB, California.

PS Please refer to "Contesting Terrains over a massacre: The case of Wiriyamu" for a sobering account of how the massacre was revealed.